sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Let there be Rock

Tsh, claro, eu sei, o professor Luciano "é do Rock"! 
Sempre que ouço algo assim tento entender o motivo que leva as pessoas a fazerem essa associação.
Seria por que eu não faço a barba com muita frequência, ou seria por causa das minhas tatuagens? Por causa da música que eu ouço é que não é!
Então o mais correto seria dizer "o Luciano é da boa música", mas para isso seria preciso entender uma frase que dou como resposta quando me perguntam o que eu defino como uma boa música.

"Para mim a boa música é aquela que a gente sente e não ouve!"

Para compreender essa frase é necessário um amadurecimento do gosto musical, mesmo que a questão não seja entrar no julgamento do que é bom ou ruim, mesmo porque, o bom ou ruim é uma questão de gosto, o fato é que alguns não tem, ou se tem, é um mau gosto decorrente da imaturidade cultural que felizmente alguns superam com o passar do tempo.

Nas minhas "veias" correm o Blues, o Jazz e o RnR, fontes que vertem para todos os estilos musicais modernos, até mesmo para o superficial Sertanejo Universitário e demais estilos sem personalidade que poluem as emissoras de rádio e TV de nosso acultural país.
O Luciano "da boa música", sem levar em consideração o absurdo modismo do "chucrismo" proliferado  por estes que enchem a boca para  pronunciar "eu sou gaúcho" sem conhecer a etimologia da própria palavra gaúcho, ouve o fronteiriço Leonel Gomez autor de músicas como Romance Musiqueiro e Alvorotada, que canta Acalambrado e Campo Santo!
O Luciano "da boa música" gosta de Norah Jones que conseguiu popularizar o Jazz sem corrompe-lo e agora se reinventou num estilo meio "Madona" e com guitarras elétrica mais salientes. Da brasileira Sandy Leah que no seu primeiro trabalho autoral mostrou o verdadeiro talento, mas ao que parece se arrependeu, pois não gravou mais nada de novo, e não sei porque, sempre tenta justificar suas composições, quando basta dizer que se ouve e se canta aquilo que se vive e que se sente!
O Luciano "da boa música" ouve também o minimalista Matthew Barber, e o as vezes frenético, guitarrista e cantor John Mayer, e também Amos Lee, que como Mayer já tocou com a Norah Jones.
O Luciano "da boa música" gosta ainda de Stevie Ray Vaughan e Slipknot, de Obituary, dos também minimalistas Flat Duo Jets e dos caipiras "rockers" Chrystian e RalfAlmir Sater.
Essa é uma sem fim, que ainda traz Brandi Carlile e toda aquela massa de rock gaúcho da década de 1980 e 1990 e todo o meu "Tocando no walkman".

Penso que se é para dançar então dancemos um tango, que se é para enlouquecer dançando que se enlouqueça em uma RAVE sob as pancadas eletrônicas de The Chemical Brothers e Fatboy Slim, que se é para curtir, que se curta um Rock, então Let there be Rock!


PS: Toca no Walkman porque o Luciano "da boa música" é do tempo da fita K-7, é um analógico nos tempos do digital.
As músicas do playlist não são escolhidas ao acaso, são músicas que eu ouvia quando ocorreram os fatos relatados ou durante a redação do post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá

Por gentileza identifique-se, comentários sem identificação não serão publicados.

Obrigado
L.S.T.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...